PodioFinalElite

Uma semana depois de ter conseguido a segunda posição no traçado de Arões perto de Fafe – Hugo Basaúla assinou em Lustosa – Lousada, os pontos necessários para se sagrar pela quinta vez na sua carreira campeão nacional Supercross, um feito que o coloca lado a lado com Joaquim Rodrigues Jr. como os dois pilotos mais laureados na história da modalidade no nosso país.

Pela quarta vez o Complexo Voltas & Rodas na Quinta da Azenha, junto a Lousada, acolheu uma prova elegível para o campeonato nacional da especialidade, sendo esta a quarta e derradeira ronda do ano e com cariz decisivo quanto ao ceptro em todas as categorias. Paulo Alberto esteve ausente na segunda prova do ano – realizada na Poutena e mesmo alinhando e vencendo nas duas rondas finais da época, a vantagem conseguida por Hugo Basaúla na segunda prova permitiu ao campeão em título gerir da melhor forma o regresso de Paulo Alberto, o piloto que mais vitórias conseguiu neste ano de 2018, três no total, mas que ao ‘ficar em branco’ numa das provas acabou por perder todas as possibilidades de aspirar ao ceptro final e recuperar um título que foi seu em 2016.


Depois de vencer as Flying Laps Hugo Basaúla atacou decidido a primeira final da noite e depois do ‘holeshot’ conseguido por Paulo Alberto o comandante do campeonato subiu ao primeiro posto na quarta passagem aos 500 metros da pista e não mais largou a liderança até à bandeira de xadrêz no final das 18 voltas realizadas, batendo Paulo Alberto e Adam Chatfield, o britânico que esteve pela terceira prova consecutiva em pista e que fechou o pódio na frente de Diogo Graça, o melhor em SX2.

Na segunda corrida foi Paulo Alberto quem respondeu à letra a Basaúla e no final dos 12 minutos mais duas voltas, a duração de cada final no campeonato nacional, foi mesmo o piloto de Leiria a vencer na frente de Basaúla que logo na segunda volta passou Chatfield para deixar o inglês novamente no degrau mais baixo do pódio e na frente de Diogo Graça que com mais uma dupla vitória se sagrou campeão nacional SX2 lado a lado com Hugo Basaúla, campeão em SX1 e também Elite, campeonato onde Graça foi terceiro atrás de Basaúla e Alberto, este o piloto que mais mangas venceu em 2018 num total de cinco das oito realizadas.

Nos Iniciados Ruben Ferreira venceu ambas as mangas e garantiu o título na frente de Fábio Costa e Afonso Gomes. Nos Infantis B esteve o único vencedor invicto no campeonato em 2018. Sandro Lobo fechou o ano com mais duas vitórias e garantiu o título final com 200 pontos, na frente de Tomás Santos e Guilherme Esteves. Em Infantis A Duarte Filipe venceu igualmente ambas as corridas para fechar o campeonato em primeiro na frente de Simão Severino e Guilherme Alves, todos eles mais uma vez muito acarinhados pelo público presente em bom número e também pelo Presidente da FMP, Manuel Marinheiro, que acompanhou ao pormenor a ronda de encerramento do campeonato.

Please follow and like us:
Supercross 2018: Basaúla renova ceptro
FMP