Paulo Gonçalves mantém a 2.ª posição no Dakar, após ter sido o quinto mais rápido na terceira etapa da prova. Por sua vez, Ruben Faria e Hélder Rodrigues são agora respectivamente 5.º e 9.º classificados na “geral”, enquanto Mário Patrão subiu duas posições na tabela.

A etapa entre San Juan e Chilecito incluía um troço cronometrado de 220 Km, com predominância de terreno bastante pedregoso – e alguns riachos para transpor – mas também porções arenosas. Uma tirada que não rendeu diferenças muito significativas entre os homens da frente, e como principal novidade trouxe a vitória do austríaco Matthias Walkner, campeão mundial de motocross MX3 em 2012 e estreante no “Dakar”.

Quanto aos portugueses, Paulo Gonçalves e Ruben Faria tiveram actuações seguras, sendo 5.º e 7.º classificados neste dia, respectivamente a 2.49 e 3.26 do vencedor. O piloto de Esposende continua firme no 2.º posto do Rali, a 5.33 do comandante, Joan Barreda, e com cinco minutos de vantagem sobre Walkner, logo seguido de Marc Coma.

Já Ruben Faria baixou duas posições na “geral”, mas está apenas a uma dúzia de minutos do líder da prova.

“Continuamos na luta, está a ser um bom rali. Muito difícil, exigente, mas tanto eu como a minha Honda temos estado à altura,” disse Paulo Gonçalves. Já Ruben Faria sublinhou que “a especial era muito sinuosa, com bastante pedra e muito traiçoeira, em especial na fase final. Adaptei o meu ritmo e mantive sempre margem de segurança sem correr riscos desnecessários.”

Hélder Rodrigues teve hoje um dia menos produtivo, sendo apenas 15.º colocado, a 7.01 do mais rápido. Em consequência desceu um lugar no acumulado do Rali, para 9.º, agora a 18m34 de Barreda. Quanto a Mário Patrão, continua a subir na tabela – foi 30.º na etapa e surge no 33.º posto da “geral”.

Em detalhe, Hélder Rodrigues rodou engripado nos primeiros dias de prova, com naturais reflexos em termos físicos. Quanto a Mário Patrão, afirma: “Mantive a regularidade. Estou a partir num grupo de pilotos que sai para a ‘especial’ cronometrada de 30 em 30 segundos e isso dificulta um pouco as ultrapassagens, especialmente pela presença de muito pó no percurso. Em todo caso sinto-me bem, a subir de dia para dia.”

A jornada de amanhã, 909 Km entre Chilecito e Copiapó, assinala a entrada no Chile, após a travessia da Cordilheira dos Andes, que leva os concorrentes a cerca de 4800 metros de altitude. O sector selectivo tem 315 Km, evidenciando-se os últimos 40 Km em dunas no deserto de Atacama, colocando à prova os dotes de navegação.

Classificação geral: 1.º Joan Barreda (Honda) 9h43m05s; 2.º Paulo Gonçalves (Honda) a 5.33; 3.º Matthias Walkner (KTM) a 10.33; 4.º Marc Coma (KTM) a 10.50; 5.º Ruben Faria (KTM) a 12.10; 6.º Toby Price (KTM) a 12.24; 7.º Jordi Viladoms (KTM) a 14.07; 8.º Jeremias Israel Esquerre (Honda) a 18.33; 9.º Hélder Rodrigues (Honda) a 18.34; 10.º Juan Pedrero Garcia (Yamaha) a 23.02; 11.º Alain Duclos (Sherco) a 23.40; 12.º Stefan Svitko (KTM) a 26.36; … 33.º Mário Patrão (Suzuki) a 1h28.21; etc.

Please follow and like us:
Paulo Gonçalves segue em segundo
FMP