CNV 2017: Época fechou no Estoril

Com 122 pilotos inscritos terminou este fim-de-semana no Circuito do Estoril a temporada 2017 da velocidade. Mais um fim-de-semana de temperaturas elevadas, boas corridas e público a comparecer em registo positivo tal como tinha acontecido duas semanas antes em prova organizada igualmente pelo Motor Clube do Estoril.

Juntamente com os pilotos das diversas categorias de campeonato nacional e troféus, estiveram igualmente em pista os concorrentes da Oliveira Cup nas suas vertentes Mini-GP e Naked que fecharam também a sua temporada e abrilhantaram ainda mais o fecho de época.

(mais…)

Ivo Lopes fecha CEV no pódio

Já com o título nacional Superstock 600 assegurado desde a penúltima ronda do CNV 2017, Ivo Lopes esteve este fim-de-semana no fecho do CEV onde aos comandos da sua Yamaha foi o segundo classificado da competitiva classe Superstock 600 em solo espanhol.

A corrida realizada no traçado andaluz de Jerez de La Frontera contou mais uma vez com mais de três dezenas de pilotos e no final de uma corrida muito disputada Ivo Lopes conseguiu mesmo o seu melhor resultado do ano na competição, fechando em beleza um campeonato onde mostrou poder ser um protagonista.

Um encerramento de época muito postivo para Ivo Lopes que depois de renovar o título português confirmou o seu valor perante os espanhóis.

Maio imperial em Portalegre

São seis vitórias na Baja Portalegre 500. Um feito só alcançado por dois outros grandes campeões do TT em Portugal, Mário Patrão e Roberto Borrego. António Maio voltou a escrever uma página de ouro na sua carreira. O piloto da Yamaha venceu a clássica alentejana e sagrou-se, de novo, campeão nacional absoluto.

Foram dois dias em que o capitão da Guarda Nacional Republicana esteve irrepreensível. António Maio começou por estabelecer a melhor marca logo no prólogo, repetindo o feito no segundo sector selectivo. Apesar disso, o piloto da WR não podia dormir descansado pois Luís Oliveira, em Honda, estava em Portalegre para discutir o terceiro triunfo consecutivo. No final do primeiro dia, era segundo a menos de 14 segundos.

(mais…)

Miguel Oliveira voltou a vencer

O feito repetiu-se: Miguel Oliveira voltou a vencer, desta feita no GP da Malásia, e com grande estrondo. Numa impressionante similaridade com a histórica corrida da semana anterior na Austrália, esta que é a segunda vitória consecutiva do piloto almadense na categoria intermédia do Campeonato Mundial de Velocidade – e a oitava da sua carreira – foi, também ela, desenhada desde o arranque; Miguel Oliveira conseguiu o melhor arranque e no final da primeira volta tinha já garantido praticamente 1 segundo de avanço sobre o perseguidor, Franco Morbidelli. Daí por diante, ao longo de 19 voltas, foi ver o astro português da Red Bull KTM Ajo a dar uma aula de pilotagem e a executar com mestria aquele que foi o epíteto de uma corrida perfeita.

(mais…)

Capitão Maio com rédea curta em Portalegre


Num dia de intenso calor e com o pó a ser igualmente adversário de todos os pilotos presentes na Baja de Portalgre o capitão da Guarda Nacional Républicana assegurou o comando da prova de final de época com escassos 14 segundos de vantagem sobre Luis Oliveira, que mantem o rival alentejano sobre pressão.

O campeão nacional de todo-o-terreno, António Maio, foi o mais forte no primeiro dia de competição na 31ª Baja Portalegre 500. Na luta pelo título, o piloto da Yamaha estabeleceu os tempos mais rápidos no prólogo e no segundo sector selectivo para liderar a classificação geral. Contudo, apesar da prova só terminar amanhã, assegurou, desde já, a conquista de novo campeonato da especialidade em termos absolutos e da classe, feito alcançado em virtude da queda de Sebastian Buhler, o outro candidato à vitória na competição, no SS2 que ditou o seu abandono.

(mais…)

Baja de Portalegre: Decisões no Alentejo

Em trinta anos de história da Baja de Portalegre apenas três pilotos conseguiram vencer a mesma por três vezes consecutivas, com a tripla mais recente a ser alcançada por António Maio, entre os anos de 2010 e 2012. Nesta reduzida lista estão igualmente os nomes de Mário Patrão, com três sucessos consecutivos entre 2004 e 2006, e também António Lopes, que subiu ao degrau mais alto do pódio de 1990 a 1992.

Nestas três décadas de história da mais importante prova do TT português foram 15 os pilotos que colocaram o seu nome na lista de vencedores e entre eles apenas dois estrangeiros, Richard Sainct e Alain Perez, que venceram nas pistas alentejanas em 1995 e 1996. Em 2017 Luís Oliveira – que venceu as duas últimas edições – irá procurar tornar-se no quarto piloto a conseguir três vitórias consecutivas. E depois de recentemente ter conquistado o título brasileiro de Enduro, o piloto de Belas procurará igualmente oferecer de novo a primeira posição aos japoneses da Honda, que não vence em Portalegre desde 2001, quando Paulo Gonçalves colocou o seu nome na lista de vencedores da prova organizada pelo ACP.

(mais…)

FMP